Alecgrama®: Técnica segura para Alectomia – relato de caso.

  • Ingrid Cedran
  • Rafael Baptista
  • Alexandre Magno Ilha Algarve
  • Célia Marisa Rizzatti Barbosa
  • José Ricardo de Albergaria Barbosa
  • Ricardo Cesar Gobi de Oliveira
Palavras-chave: cartilagens nasais, cirurgia plastica, nariz, rinoplastia

Resumo

Descrever uma técnica segura para redução de base alar, através ressecção da pele, diminuindo a distância inter-alar melhorando a harmonia nasal no conjunto facial. Detalhamentos de Caso: Ao longo dos anos as técnicas cirúrgicas têm evoluído muito, e não é o contrário com a Alectomia, cujo propósito é diminuição de largura da base alar. O objetivo principal foi apresentar o resultado de um caso clínico de Alectomia feito através da técnica de Alecgrama® de Algarve & Oliveira (diagrama de redução das asas nasais sem comprometer a estética e função do nariz), deixando-o mais harmônico com o perfil do paciente. Foi realizada a metodologia com a descrição detalhada do caso clínico realizado, com os benefícios de contribuir indiretamente para um grupo de indivíduos que se encontra na mesma situação. Foram relacionados aspectos ainda não observados na literatura. A metodologia bibliográfica foi utilizada com revisão da literatura pertinente com base em buscas através do MEDLINE, EMBASE, LILACS e SciELO. Conclusão: A técnica cirúrgica do Alecgrama®, mostrou-se eficaz para atender os objetivos da cirurgia e dos pedidos da paciente. A reconstrução nasal através da diminuição da base alar utilizando-se procedimento adequado e minimante invasivo, atingiu as expectativas e foi condizente com o resultado funcional e estético, sem processo de inflamação e com cicatrização apropriada, mesmo com a complexidade da estrutura nasal.

Publicado
2020-09-14
Como Citar
Cedran, I. ., Baptista, R. ., Magno Ilha Algarve, A., Marisa Rizzatti Barbosa, C. ., Ricardo de Albergaria Barbosa, J. ., & Cesar Gobi de Oliveira, R. . (2020). Alecgrama®: Técnica segura para Alectomia – relato de caso. AESTHETIC OROFACIAL SCIENCE, 1(1), 27-36. https://doi.org/10.51670/ahof.v1i1.13